Cidade dos Esquecidos Diacho de Gente sem Memória

Por: Monica Rocha

__Olha Gilmar você vai ficar jogando dama sentado na praça, esta vendo o político chegando? Só aparece no ano de eleição com os puxas sacos. Saiu no jornal o desvio de verba e ele estava metido com aquele centro social, foi até fechado. Agora devolver o dinheiro que ele desviou do nosso bolso sou contribuinte e pago os meus impostos mais caro do mundo.

__ Carlos é sua vez de jogar, cuidado com quiprocó, o que vai falar olha o poder da sua língua para nos meter em confusão. Para de dar um de fiscal dos absurdos. A vida não é como o filme antigo que tem o vilão e o mocinho e tudo acabam bem. A escolha do povo é que sustenta os políticos, é só não votar nele. Comi uma, duas aram!

__ Eu lembro quando morávamos na praia do Pinto, o fogo lambeu o lugar só me restou correr. Meu primo Bill o barraco caiu em cima do coitado e morreu por lá. Moléstia! Os mortos se diluíram como vento levando as cinzas.

Continuar a ler

No meio da avenida

Por: Mônica Rocha

Oche! Mais um caso de violência e barbárie contra homossexual, de nome Jorgete. Estou aterrorizado o que fizeram com minha amiga de apenas 22 anos, passista da escola de samba. Mas diabos ela ganhava a vida na avenida Brasil. Era uma maldição a vida do pobre viado.

Foi atacada covardemente por um bando de neonazista. As imagens registradas pela câmera de segurança ajudarão a descobrir os criminosos. E vão virar matéria de quinta categoria, denunciando a carnificina.

O pronunciamento do grupo de direito humano diz que a justiça é lenta. O fuzilamento, espancamento e preconceito contra homossexual é uma trágica estatística no Brasil. Mas em respeito à Jorgete que sempre lutou por leis que legitimasse o direito do homossexual, não deixaria passar em branco o que pode ser uma chacina articulada e velada.

Continuar a ler