Churrasco e futebol

Por: Edilson Cândido Rezende

“Toda a reunião de família e a mesma merda” era o que pensava Samuel, a caminho da 35º reunião da família Fieldman que aconteceria no Porcão de Botafogo, rapaz que morava no bairro aonde ficava a churrascaria e torcia pelo bairro também, pois assim como dizia o seu avó “Botafogo, não conheço esse time, acho sim que é um belo bairro do Rio de janeiro” Bom mais era o seu time e sua convicção.

O carro parava na porta da churrascaria e nele estavam, seu pai, sua mãe e sua irmã, quando saíram do carro ele descobriu que sua família estava maior e seu avó infelizmente ainda estava vivo, pois é, Samuel não sabia se era bom seu avó estar vivo ainda mais porque o Botafogo tomou de 4 no domingo do time dele, o Fluminense.

Continuar a ler

Emprego dos sonhos

Por: Edilson Cândido Rezende

Não me lembro de uma historia feliz no meu bairro, talvez porque quem tenha tido uma historia feliz nele não more mais lá ou até mesmo nunca vim a conhecer, então partindo do principio da ética contarei a historia, mas feliz que tenha acontecido por lá, que começa assim:

Existia um garoto chamado Danilo, que tinha vários sonhos dentre todos eles tinha um que era a premissa, conquistar uma jovem área chamada Sulamita, a jovem morava na parte podemos dizer “rica” do bairro enquanto o jovem morava na parte mais pobre, mas a menina nem sabia que ele existia, ou talvez ela simplesmente ignorava a sua existência, o jovem respirava e vivia pensando nela.

Continuar a ler

Estilo Mister M

Por: Edilson Cândido Rezende,

Lá estava eu dentro da van, agora com minhas mãos enfiadas dentro bolso percebia, meu dinheiro sumiu, do estilo “Mister M” com uma incrível mágica de desaparecimento, coisa legal que eu sempre achei em programas de mágica é que nunca vi algum truque de fazer as pessoas ficarem ricas ou brotar dinheiro em arvores.

O camarada motorista tinha uma cara de poucos amigos, parecia um daqueles caras que acabou de entrar condicional e estava trabalhando para mudar de vida, mas mesmo assim aquela cara de matador de aluguel me assustava a ponto de me dar vontade de sair no pulo daquela van, mas e ai ele poderia me pegar na curva, com toda a certeza o filho da puta corria mais do que eu, ainda mais se ele me matasse ele estaria com a razão, eu sendo um banana dando volta em ex traficante, dono de boca, realmente ele ainda poderia me estuprar antes de me passar o rodo, o desgraçado ainda tinha barba de ex detento, realmente eu estava fudido. O meu destino estava chegando perto, a 300 metros era o meu ponto de chegada, mas, porém sem dinheiro, como poderia sair da van.

Continuar a ler

Atitude

Por: Edilson Cândido Rezende

De repente veio a minha cabeça muitas caraminholas. A mãe de Ricardo voltou a perguntar no MSN “Carlinha minha filha, ele saiu de casa ontem, por favor, me diga alguma coisa que possa me ajudar.” Mas eu naquele momento não queria dizer nada, como eu poderia dizer pra moça que eu achava que um dia eu ia chama – lá de sogra, que ontem eu terminei com o filho dela, por conta de uma briguinha boba de ciúme e o meu Ricardinho sempre me disse que sem mim ele não agüentaria viver, mas eu tinha que falar:

Continuar a ler