Passagem de amor

Por: Davi Marcos

Na roleta tentava me explicar, a trocadora não queria saber, não deixou passar por baixo da roleta e mandou o motorista abrir a porta para que eu descesse. Sem dinheiro e atrasado, pedi carona em diversos ônibus, mas nenhum deles me aceitou sem pagar.

Andei por vários minutos, a sensação de era estranha, um misto de raiva, tristeza e falta de direção. Sabendo onde devia chegar e também da impossibilidade de conseguir carona, resolvi pedir dinheiro para os transeuntes, os olhares em minha direção me condenavam ao pedir dinheiro, eu me sentia como um viciado em crack, por fim já estava como um assaltante, esperando que alguém desatento passasse, para que eu pedisse de surpresa os dois e setenta e cinco de minha passagem de ônibus, se fosse de metrô seria ainda mais difícil.

Continuar a ler

Anúncios