Início do final feliz

Por: Ricardo Oliveira

Em meio a passos certos

tomou a decisão mais difícil,

perdoou seu passado.

até ali vê olhos a lhe seguir,

percorre de Salazar à jericó

vendo olhos ao redor a lhe perscrutar

não sabe o que se passa lá fora

longe do seu ser adentro do seu lar,

trancado, já perdeu a noção da hora

sai não sabe em que curva virar,

põe-se a andar e observar

Se, ao caminhar ali deu pra sonhar,

rompe com o mundo as faces que lhe maquiam

Nas travessas do mênfis à pecode

no sol, na lama ou na terra

faz da De Deus o seu lar

sem daqui pensar em partir,

das frases aos apagões repentinos

vê curtas pernas na corrida de um menino

de portão em portão fazendo fuxico,

enxerga no novo ambiente alforria da frustração,

dia a dia conquistando redenção

da sua vida regida por delirios de decepção.

no avanço social da comunidade vê o reflexo

dos seus interesses, cresce com os anseios

que outrora já lhe haviam deixado o silencio como opção.

por que nasceu pra amar ainda que

Vitimado pela desatenção de amores cadente,

Frustrado por verdades repentinas,

derrotado por caminhos trilhados errados,

Desacreditado pelo arrependimento.

esconde-se solitário na imensidão de sua emoção

faz do seu lar base de inspiração

recriando superação.

Deu tempo em delirar

nos desamores matinais

nos desejos carnais

e Viu a amarra ali se romper

pois encontrou no suor da sua comunidade

o contraste de educação, sonhos, desejos e dedicação

entendeu os valores contidos no sorriso da atendente

que diariamente lhe agrada ao desejar um bom dia.

reconheceu que socializar é mais importante que se privar.

conquistou o respeito do jornaleiro, o primeiro a lhe servir

a noticia quente do dia a seguir.

se precisa de remédios corre até a praça,

e ali está uma farmacia pronta pra lhe ajudar

ao passar não deixa de reparar na empolgação do moto taxi

sempre ali de prontidão

a garantir aos passageiros a segurança em

ruzar as ruas da comunidade na garupa de sua moto

para ao seu destino chegar.

repara na movimentação e não deixa de questionar

quanto mundos inexplorados,

há em cada transeunte que vê ao passar.

não deixa de acreditar que ali naquele novo lugar

sua vida há de se estruturar,

porque assim como os alicerces de cada lar

que o estado está a reparar os anos de abandono assim também

retomando o controle da sua vida

reestrutura suas seguranças que tudo vai melhorar

pois hoje acredita em sonhos

que a cerca de cinco anos atrás nunca imaginou ser capaz de observar,

e agora vê as certezas ao se permitir viver o inicio do então feliz.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s