Um miojo para dois

Por: Jessé

– Amo o mar, tudo que faço, é em direção ao mar! Dizia o Grande Willian emocionado ao conhecer alguns pescadores na Ilha Grande.

A história do Willian começou com seu amigo Andarilho e o parceiro dele Bocão. Quando Andarilho e Bocão foram para Ilha Grande tinham tão pouco dinheiro que mal dava para as passagens, muito menos para o barco.

Para conseguirem chegar à Ilha inventaram para o dono do barco que já estavam na Ilha e só foram a Angra levar um amigo que passou mal, e que os pertences deles estavam todos na Ilha Grande incluindo documento e dinheiro.

Levaram um Miojo apenas, e, na hora do rango, batiam na porta de alguns moradores da ilha e contavam que acamparam na praia com fogareiro entupido, e se a pessoa da casa se importaria em preparar o miojo para os dois almoçarem.

– Um Miojo para dois?

– Sim senhor, nós estamos acostumados a comer pouco, dizia o Bocão.

– Vocês aceitam almoçar aqui em casa?

– Se não for incomodar, aceitamos sim, minha mãe me ensinou a nunca recusar uma gentileza! Afirmou Andarilho.

Depois dessa conversinha, os dois se fartaram em várias casas da ilha e fizeram muitas amizades, sendo convidados a ficar em varias casas de moradores diferentes.

Ao chegar em casa, no Rio, postaram as fotos com um pedaço da história no Orkut, e foi assim que o Grande Willian tomou conhecimento do paraíso que passou a sonhar viver.

William foi à casa de Andarilho e perguntou se ele poderia ajudá-lo nesse sonho de morar na praia, pois 7 de setembro haveria outro feriado prolongado, teria ainda 5 meses pela frente para ele se preparar.

-Willian, você vai virar Hippie?

-Nada, quero trabalhar lá, virar pescador, arrumar uma família, morar no paraíso. Não nasci pra viver em cidade grande sinto isso bem forte dentro do meu peito.

Andarilho risonho disse que ia dar uma força ao amigo sonhador, os dois marcaram para setembro. Willian juntou grana e perto da data marcada, pediu para ser mandado embora do trabalho, pois com a rescisão de contrato poderia ter mais tempo para arrumar um trabalho na Ilha.

Quando o barco se aproximou da praia, o olhar dele transbordava emoção em forma de lágrimas e foi assim que Willian conheceu a Ilha Grande ao vivo.

Andarilho apresentou algumas famílias para ele e conversaram bastante com o pessoal falando sobre sua vontade de morar ali naquele lugar.

Andarilho foi embora e Willian morou no acampamento da praia por 6 meses. Tentou a pescaria, mas seu porte físico que lhe dera o apelido de Pinguim, não aguentou a ralação, tentou trabalhar na obra da prefeitura carregando postes na instalação da luz elétrica, mas também não aguentou, foi aí que ele começou a ajudar os moradores que vinham do mercado, ajudava carregar as compras, assim, garantia alguns trocados e algumas refeições que lhe ajudaram no período em que estudou para fazer a prova de guarda florestal.

Hoje em dia, ele comprou uma casa na Ilha Grande, mora em Angra e é conhecido por todos como “Willian Grande” o Pinguim da Ilha Grande.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s